0
BIG: da Bahia, est?dio planeja jogo similiar a LocoRoco para smartphones
BIG: da Bahia, est?dio planeja jogo similiar a LocoRoco para smartphones
Por Renato Bazan às 20:10h - 16/05/14

Introdução

O Centro Cultural São Paulo é palco até este domingo (18) do segundo Brazilian Independent Games Festival - o BIG. O evento realizou a chamada “demonight”, entre outros encontros: um conjunto de sete apresentações com jogos em desenvolvimento no Brasil. Para estarem entre os escolhidos dentre 342 projetos, eles estão no suprassumo das inovações brasileiras em games. Ao longo da semana, o Selecter fez prévias de cada um deles, e hoje não será diferente - logo abaixo, temos um participante vindo diretamente da Bahia.

Tuuf: The Alien Flea (Orunz)

A Orunz está no estágio mais inicial concebível para um estúdio de desenvolvimento, com apenas um jogo em pré-alpha. No entanto, Tuuf: The Alien Flea, não tem nada de amador: em muitos aspectos, lembra o coloridíssimo LocoRoco, da Sony Japan, tanto na aparência quanto na movimentação.

O estúdio de Itabuna, no interior da Bahia, busca em seu primeiro game atingir o público entre 11 e 18 anos fã de smartphones e Facebook. O jogo, em si, cai dentro de padrões consagrados: um sidescroller 2D de exploração baseado em obstáculos de perícia e alguns puzzles. A movimentação pode ser feita de duas formas, dependendo do aparelho: no iOS e Android, a pequena pulga que protagoniza o jogo anda para os lados conforme a inclinação do celular, enquanto no Facebook um clique único do mouse fará com que o personagem se desloque até o lugar indicado. Em ambos os casos, o timing é o fator essencial para o progresso.

Tuuf, por enquanto, conta com dois modos complementares de jogo: o primeiro, de história, conta a vida da pequena pulga espacial descrita no título, enquanto o segundo, nomeado Olimpíada, aproveita os aliados conquistados durante a jornada em provas de habilidade diversas. A ideia é que essas duas metades se completem, fazendo o jogador avançar na campanha para poder melhorar na competição.

O jogo se pretende gratuito em todas as plataformas, com o lucro vindo das microtransações de quem não tiver paciência para conquistar os benefícios da campanha. A motivação para voltar a jogá-lo é dupla: a campanha terá um enredo a se acompanhar, enquanto as Olimpíadas poderão ter seus resultados compartilhados via redes sociais, com os resultados de amigos aparecendo quando forem melhores.

Conforme sua performance nas plataformas móveis, a Orunz pretende no futuro levar sua obra para o PC, o Vita, 3DS e o Ouya, a depender de investidores interessados. Eles têm até um valor determinado para isso: US$ 65.000, suficientes para tirar o jogo do pré-alpha e levá-lo para todos os consoles planejados. Enquanto esse dinheiro não chega, você pode conferir o estado do jogo pelo trailer abaixo.