45
Exclusivo: conhe?a a Riot Brasil e veja o que ? preciso para ser um rioter
Por Reda??o às 10:25h - 22/08/14

Introdução

League of Legends, para todos os efeitos, já é um fenômeno cultural. O jogo abriu 2014 com um fluxo mensal de 67 milhões de usuários, desbancando desde veteranos como o MMO World of Warcraft (cujo pico chegou a 12 milhões de jogadores por mês em 2010) até chamativos apps de celular como Candy Crush (que chegou a computar 46 milhões/mês). É também o principal nome do novo ímpeto por trás da popularização do esporte digital, que está hoje movimentando ligas regionais e internacionais, com premiações na casa dos milhões de dólares. O sucesso da empreitada, entretanto, pode ser mapeado para um único ponto: a norte-americana Riot. A empresa não só criou League of Legends, como controla diretamente tudo ao redor de sua cultura, em 13 países onde o jogo já deixou sua marca. O Brasil, claro, é um deles, e o Selecter é o o primeiro veículo brasileiro a gravar o escritório da empresa em nosso país.

Refor?o nas rotas

No primeiro episódio de nossa série especial sobre a Riot Brasil, exploramos o forte espírito da empresa por trás de League of Legends no país em companhia do gerente geral Roberto Ievorlino, o especialista em e-Sport Bruno Pereira, o gerente de engajamento do jogador Bruno Vasone, o relações públicas Vinícius Junqueira e Wagner Brasil, gerente financeiro. É um bocado de gente, e ainda há espaço para dar destaque a um fato curioso: a Riot precisa de gente nova. O que eles buscam? O que candidatos precisam entender e atender? É também o que nossos entrevistados respondem, e o que você descobre em nossa matéria especial.