0
0

Riot Games vai impor limite de estrangeiros em equipes profissionais

Por Paulo Freire às 15:02h - 08/09/14
0

A quarta temporada de League of Legends foi marcada pela entrada de estrangeiros em uma série de equipes ao redor do mundo, mas a Riot Games decidiu limitar o número de estrangeiros participantes em cada equipe para os campeonatos de 2015, decisão que visa manter o caráter regional de cada liga.

A partir de agora, cada time das regiões da Europa (LCS e Challenger Series), América do Norte (LCS e Challenger Series), Coréia do Sul (OGN, Masters e NLB) e Sudeste Asiático (GPL e LNL) poderão ter no máximo dois estrangeiros em sua line-up. As mudanças não afetarão as equipes que já participam das ligas principais (como LCS e OGN Champions), mas valem para aquelas que vão entrar na próxima temporada.

A região menos afetada é a Europa. Com os diversos países que fazem parte da União Européia não sendo afetados por esta mudança, as equipes multinacionais que fazem parte da LCS não vão precisar se adaptar para o futuro. Já alguns times americanos terão problemas. O campeão regional norte-americano, Team Solo Mid (foto abaixo), conta com três estrangeiros em sua formação: o mid-laner dinamarquês Søren "Bjergsen) Bjerg, o jungler alemão Maurice "Amazing" Stückenschneider e o suporte Jang-sik "Lustboy" Ham da Coréia do Sul. Os chineses da LMQ, terceiro colocado na LCS-NA, também vão precisar considerar sua permanência no cenário norte-americano, já que nenhum de seus jogadores pertence à região.

Em nota oficial, o gerente de operações da Riot Games, Nick Allen, falou sobre a importância de estabelecer regras na importação de cyber-atletas: "A movimentação de jogadores entre as regiões ajuda a melhorar o nível delas. Entretanto, as diferenças regionais são também o que mantém as competições interessantes de se assistir. Encontrar o equilíbrio entre intercâmbio, desenvolvimento de talentos locais e preservação das identidades regionais é o que nós acreditamos que manterá a competição significativa para os fãs". No Brasil, a mesma regra já passou a valer desde o começo desta temporada, quando a Keyd Stars foi a pioneira na contratação de estrangeiros em nosso cenário.

0 COMENTÁRIOS
  • Entrevista: falando de sexo em The Witcher 3
  • A lista n?o-?bvia das 5 melhores experi?ncias em games de 2014
  • Gameplay: Far Cry 4 - A revolu??o dos bichos
  • Aika e as novidades para o fim de 2014
  • Gameplay: LittleBigPlanet 3 - do Titanic ? Ishimura
  • Gameplay: Dragon Age: Inquisition - a caverna do drag?o
  • Se libertando dos cabos: o Mito do Wi-Fi
  • Pol?tica de review
  • PRELOAD: Far Cry 4
  • PRELOAD: Dragon Age: Inquisition
  • Guilty Gear Xrd Sign: Blietzkrieg
    9
  • Far Cry 4: deuses e dem?nios
    8
  • Call of Duty: Advanced Warfare: admir?vel mundo novo
    8
  • Forza Horizon 2: Joyride
    7 .5
  • Assassin's Creed: Rogue: a ordem das respostas n?o dadas
    6 .5
  • Alien: Isolation: cadeia alimentar
    7 .5
  • Lords of The Fallen: que continue a tortura
    7 .5
  • The Evil Within: terapia de choque
    8
  • Driveclub: passeio surdo-mudo
    7 .5
  • Naruto Shippuden: UNS Revolution: abra?o de afogado
    5