0
Entrevista: falando de sexo em The Witcher 3
Por Leonardo Teixeira às 18:30h - 23/12/14

Introdução

Ano que vem, The Witcher 3: Wild Hunt, assim como seus outros dois antecessores, vai chegar com o objetivo de ser uma pura experiência de Role Playing Game, no sentido mesmo de dar ao jogador a opção de viver sob a pele de outra pessoa. Geralt de Rivia, o matador de monstros e caçador extraordinário, é o herói, mas, sob o controle do personagem, sua vida não vai se resumir a ver números pipocando da cabeça de inimigos.

No terceiro jogo da série, Geralt é também um homem em busca de um amor que ele acreditava estar perdido para sempre, e está dividido ainda entre paixões do passado. Sexo, portanto, será parte tão importante da experiência quanto fatiar criaturas e conjurar magias, e para entender mais sobre esse elemento, tivemos a oportunidade de conversar com o community manager Marcin Momot e Marcin Iwinski. co-fundador da CD Projekt RED. Acompanhe abaixo:

Como voc?s v?em o papel do sexo em um jogo de role playing?

Marcin Momot: nós vemos o sexo como uma parte normal e natural da vida, e não com um elemento de RPG. Mas se role playing é sobre atuar um personagem, e sexo é parte do mundo dele, ele também deverá ser parte do nosso jogo. Nós não colocamos sexo em Wild Hunt pela única razão de tê-lo no jogo.

Marcin Iwinski: eu posso falar de The Witcher, porque a gente criou ele, e nós vemos sexo como uma parte normal de seu mundo. O jogo é para audiências mais maduras, não é para crianças. Claro, há a porção de ação, mas, como na vida real, há o sexo, ele é uma parte normal de nossas vidas - há quem foque nisso, há quem veja como algo comum, parte de seus relacionamentos, e é exatamente isso que queremos representar em The Witcher. Claro, não construímos o jogo para você ficar o tempo inteiro em um bordel, por que ele não é sobre isso, mas se há sentido para o enredo e uma função para a história, então o jogador vai visitá-lo e terá a opção de participar ou não dele. Já outras relações são fundamentais para a trama, você irá se engajar nelas, mas você decide em que aspecto. 

Com isso estamos construindo um pano de fundo verossímil para o jogador, e que é fiel ao romance original. O universo de The Witcher é um pouco como Game of Thrones, em que há relacionamentos, e às vezes eles chegam a ser brutais . O que fazemos é dar camadas à história, mas não transformar sexo em serviço por si só. Não estamos fazendo isso por que queremos mostrar algo proibido, mas só porque é parte do mundo e fica a escolha do jogador o que ele quer fazer.

Claro que, com maior poder t?cnico, ? poss?vel fazer mais coisas, mas que desafios o fotorrealismo traz para a reprodu??o do sexo em um ambiente virtual?

MM: os mesmos que outros aspectos do game. Cenas românticas podem ser mais detalhadas, trazer emoções reias e impactar o jogador mais do que nunca.

Voc? acha que estamos entrando em um dilema moral cada vez maior conforme alcan?amos o fotorrealismo? Como voc?s definem o que fazer e o que n?o fazer?

MM: em termos de gráficos em si, um mundo de fantasia por definição não é realista e muito de seus atrativos vêm do fato de que é diferente, não real. O que podemos introduzir nestes mundos são elementos do realismo. Podemos tentar abordar temas difíceis como racismo ou desigualdade, mas o núcleo da fantasia tem que ser, bem, fantasioso, fora do nosso mundo. Acho que é o misto de místico e realidade o que faz nossos games únicos. Quanto a dilemas morais, você não precisa de tecnologia para se perguntar o "que deve ou não ser feito". O que fazemos com Witcher é introduzir essas espécies de dilemas (estes "maus menores") em um videogame. E gamers parecem mesmo gostar disto em The Witcher 3: Wild Hunt.

MI: esta é totalmente minha opinião pessoal, mas não, não acredito. Eu creio que algumas pessoas e companhias vão tentar usar isso como alavanca de marketing, e é aí onde colocamos nosso limite, onde falamos "não, não vamos fazer isso". Se faz sentido no enredo, legal, funciona, não acho que o Geralt deveria existir sem isso.

Sexo tamb?m vai ter um papel no terceiro jogo? Geralt ser? capaz de ter m?ltiplas parceiras?

MM: sim o jogo vai conter cenas de conteúdo explícito. Quanto aos interesses amorosos do Geralt, em Wild Hunt nós estamos apresentando Yennefer, o amor há muito perdido do caçador, mas a Triss ainda vai estar por aí, então...

Houveram mulheres envolvidas de alguma maneira na cria??o das cenas de sexo em The Witcher 3?

MM: porque elas não estariam? Há muitas mulheres trabalhando em Wild Hunt em todos os níveis possíveis, do desenvolvimento ao marketing.

MI: é, definitivamente. Nós temos mulheres no time e todas as etapas do desenvolvimento foram discutidas em todos os níveis com elas. Elas foram parte ativa da criação.

Sexo ?, de certa maneira, um tabu em games. Por que voc? acha que isso acontece?

MM: eu acho que isto pode ser um problema pois games ainda são consideravelmente jovens como meio de expressão artística. Quer dizer, há 30 anos ninguém diria que jogos seriam uma mídia capaz de acordar sentimentos profundos. Este não é o caso agora, mas demora para se enraizar na opinião popular. Além disso, alguns games e conteúdo sexual simplesmente não andam de mãos dadas. Jogos de plataforma ou shooters cheios de ação não necessariamente precisam de sexo para entregar ao jogador o que é mais importante: diversão. Outro problema é a questão da classificação etária. No momento em que você sugere erotismo você quase instantaneamente salta para a categoria "maiores de 18" e o grupo de potenciais jogadores diminui. Sexo não é um tabu, colocado de forma simples, mas nem sempre é necessário.